26.1 C
Fortaleza
quarta-feira, maio 29, 2024
HomeNoticiasA IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO NA APRENDIZAGEM

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO NA APRENDIZAGEM

Uma alimentação equilibrada é essencial para garantir o desenvolvimento saudável das crianças! Mas você sabia que os hábitos alimentares do seu filho também podem influenciar diretamente em seu aprendizado? Neste post, nós te contamos mais sobre esse assunto. 🙂 Acompanhe.

A alimentação e os estudos: qual a relação?

Os alimentos são os grandes responsáveis por garantir os nutrientes e a energia necessária não só para o correto funcionamento do nosso organismo, mas também para as nossas funções cognitivas. Sendo assim, comer bem é fundamental para encarar os estudos!

A alimentação saudável, com a ingestão adequada de vários nutrientes, contribui para a melhora significativa da nossa atividade cerebral. Isso influencia diretamente em nossos índices de concentração e em nossa capacidade de reter novas informações.

Um estudo realizado pela Universidade de Gothenburg, na Suécia, descobriu que a alimentação também tem forte relação com o bem-estar psicológico. Crianças que se alimentam bem apresentam uma excelente autoestima e mantém ótimos relacionamentos com os seus familiares e colegas – fator importante para uma experiência escolar positiva.

Ainda, a predileção por alimentos naturais garante excelente saúde e estado de bem-estar, proporcionando boas noites de sono e momentos de descanso apropriados, essenciais para o bom crescimento infantil.

Como ter uma dieta balanceada?

É claro que não existem comidinhas mágicas, mas sim uma combinação de diferentes alimentos que contribuem para a saúde do seu filho! É imprescindível promover uma alimentação balanceada, com alimentos diversos e a ingestão de vários macro e micronutrientes.

O mesmo vale para refeições realizadas em locais apropriados! Deve-se incentivar o hábito de alimentar-se de maneira regular, sem pular refeições ou com grande variação nos horários de um dia para o outro.

De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, de autoria do Ministério da Saúde brasileiro e publicado em 2014, deve-se sempre preferir alimentos in natura ou minimamente processados como base para a alimentação. Óleos, gorduras, sal e açúcar precisam ser usados com moderação, apenas para temperar e preparar as refeições.

Já os alimentos processados – entre os quais estão queijos, pães e compotas de frutas, por exemplo – devem ser consumidos em pequenas quantidades, ou como parte de uma dieta com predomínio de alimentos in natura. Por fim, o documento pontua que o ideal é evitar alimentos ultraprocessados, já que eles são nutricionalmente desbalanceados.

3 dicas para estimular o seu filho a comer bem

Seja um bom exemplo

Crianças e adolescentes espelham-se em seus familiares. Por isso, consumir alimentos ultraprocessados com frequência ou deixar os legumes e as verduras de lado pode não ser uma boa ideia. Se você espera que o seu filho tenha uma alimentação saudável, estar de olho no seu prato é parte do processo, OK?

Incentive o seu filho a experimentar!

Misturar alimentos novos com os favoritos da criança pode ser uma alternativa para incentivá-la a provar novos sabores. Outra sugestão é criar receitas divertidas e diferentonas, trazendo o caráter lúdico para a refeição. Aqui, é sempre importante ressaltar para o seu filho que não podemos dizer se gostamos ou não de um alimento se não o provamos, não é mesmo?

Foque nos benefícios

Um estudo da Universidade Estadual de Washington e da Universidade Estadual da Flórida, publicado na revista científica Journal of Nutrition, Education and Behavior, descobriu que falar sobre a relação entre os alimentos e as suas vantagens de maneira lúdica incentiva as crianças a se alimentarem melhor.

Isso significa que, ao invés de dizermos que lentilha é saborosa e faz bem para a saúde, podemos dizer que ela vai ajudar o pequeno a correr muuuito mais rápido. E que a cenoura, por exemplo, ajudará a enxergar tão bem quanto os coelhos! 🙂

E o papel da escola?

Na primeira infância, moldam-se os hábitos alimentares que acompanharão a criança por toda a vida. Por essa razão, a educação alimentar e nutricional deve ser uma preocupação da família e da escola, sobretudo se a instituição oferece aulas ou atividades em período integral.

Em casos como esse, a alimentação deve ser uma extensão da proposta pedagógica, pois também contribui para o desenvolvimento integral dos alunos de todas as idades. Pensando nisso, o Axis+, o período integral do Axis Mundi, oferece orientação nutricional!

Os alunos que passam as tardes na escola aproveitam um delicioso almoço, cujo cardápio é elaborado e acompanhado de perto por uma nutricionista. Ainda, na refeição, não são servidos alimentos ultraprocessados, como refrigerantes, ou frituras.

Não há dúvidas de que nossa alimentação pode fazer a diferença em nossa qualidade de vida, beneficiando também o nosso aprendizado – em todas as fases da vida. Que tal incentivar toda a família a repensar seus hábitos alimentares?

- Advertisment -

MAIS LIDOS